Som Samba Rock Brasil

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Martinho da Vila (1969)



Martinho José Ferreira (Duas Barras, 12 de fevereiro de 1938) é um músico brasileiro.
Filho de lavradores da Fazenda do Cedro Grande, veio para o Rio de Janeiro com apenas quatro anos. Quando se tornou conhecido, voltou a Duas Barras para ser homenageado pela prefeitura em uma festa, e descobriu que a fazenda onde havia nascido estava à venda. Não hesitou em comprá-la e hoje é o lugar que chama de “meu off-Rio”. Cidadão carioca criado na Serra dos Pretos-Forros, a primeira profissão foi como Auxiliar de Químico Industrial, função aprendida no curso intensivo do SENAI. Mais tarde, enquanto servia o exército como Sargento Burocrata, cursou a Escola de Instrução Especializada, tornando-se escrevente e contador, profissões que abandonou em 1970, quando deu baixa para se tornar cantor profissional.
A carreira artística surgiu para o grande público no III Festival da Record, em 1967, quando concorreu com a música “Menina Moça”. O sucesso veio no ano seguinte, na quarta edição do mesmo festival, lançando a canção “Casa de Bamba”, um dos “clássicos” de Martinho .
O primeiro álbum, lançado em 1969, intitulado Martinho da Vila, já demonstrava a extensão de seu talento como compositor e músico, incluindo, além de “Casa de Bamba”, obras-primas como “O Pequeno Burguês”, “Quem é Do Mar Não Enjoa” e “Prá Que Dinheiro” entre outras menos populares como “Brasil Mulato”, Amor Pra que Nasceu” e “Tom Maior”.
Logo tornou-se um dos mais respeitados artistas brasileiros além de um dos maiores vendedores de disco no Brasil, sendo o primeiro sambista a ultrapassar a marca de um milhão de cópias com o CD “Tá delícia, Tá gostoso” lançado em 1995. Destacam-se Zeca Pagodinho, Simone e Alcione como os maiores intérpretes.
Hoje, é impossível saber de cor todos os prêmios que ganhou. Toda essa história está no rico acervo em sua cidade natal, Duas Barras. Entre os títulos guardados com carinho estão os de Cidadão Carioca, Cidadão benemérito do estado do Rio de Janeiro , Comendador da República em grau de oficial e a Ordem do Mérito Cultural, por sua contribuição à cultura brasileira. Na coleção de medalhas, guarda a Tiradentes, além da famosa Pedro Ernesto, e na carreira musical ganhou em 1991 o Prêmio Shell de Música Popular Brasileira.
Sua dedicação à escola de samba do coração, Unidos de Vila Isabel, iniciou em 1965. Antes, participava da extinta Aprendizes da Boca do Mato. A história da Unidos de Vila Isabel se confunde com a de Martinho. Desde essa época, assina vários sambas-enredo da escola.
Também envolvido nos enredos da escola, criou o “Kizomba A Festa da Raça” que está entre os mais memoráveis da história dos desfiles, e garantiu para a Vila, em 1988, seu consagrado título de campeã no grupo especial.
Embora internacionalmente conhecido como sambista, com várias composições gravadas no exterior, Martinho da Vila é um legítimo representante da MPB e compositor eclético, tendo trabalhado com o folclore e criado músicas dos mais variados ritmos brasileiros, tais como ciranda, frevo, côco, samba de roda, capoeira, bossa nova, calango, samba-enredo, toada e sembas africanos.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Jorge Ben - O Bidu - Silêncio no Brooklyn (1967)






Jair Oliveira - Simples (2006)




Jair Oliveira (São Paulo, SP, 17 de março de 1975), outrora Jairzinho, é músico brasileiro e filho do também cantor Jair Rodrigues e irmão da cantora Luciana Mello. É casado com a atriz Tânia Kalil.
Quando criança, fez parte da turma do Balão Mágico que tinha programa na Rede Globo de Televisão e, durante a década de 1980, obteve grande sucesso entre o público infantil.
Após o fim do Balão Mágico, fez carreira ao lado de Simony com relativo sucesso, mas após um tempo abandonou a carreira e dedicou-se aos estúdios de música nos EUA.
Ao lado da irmã e de outros músicos, filhos de famosos: João Marcelo Bôscoli, Pedro Mariano, Max de Castro, Wilson Simoninha e Daniel Carlomagno, lança trabalho inovador, registrado pela gravadora Trama e inicia sua nova fase pela música popular brasileira.
Em sua carreira solo, Jair Oliveira marca sua estréia, ainda como Jairzinho, em "Dis'ritmia". Na seqüência, o músico, produtor e cantor se registra artisticamente como Jair Oliveira e lança 'Outro'. Seu terceiro trabalho solo, também pela gravadora Trama é dividido em duas partes, os cds 3.1 e 3.2. Este último lançado para ser baixado gratuitamente pela Internet.
Após parceria de sucesso e de grande crescimento e desenvolvimento profissional, Jair Oliveira transcende seu talento e lança em 2006 seu cd 'Simples', independente, pelo selo S de Samba, onde é um dos sócios.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Bebeto - Pra Balançar (2006)


Jorge Ben - Sacundin Ben Samba (1964)





sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Originais do Samba - É Preciso Cantar (1973)



Serginho Meriti - A Vida é Tão Bela Menina (1982)



http://www.4shared.com/file/74580802/2fd04599/Serginho_Meriti_-_A_Vida__To_Bela_Menina__1982_.html

Copa 7 - Ao Som do Copa 7 (1979)


Postar por postar Copa 7, é isso que alguns "papagaios" da zona sul andam fazendo por aí. Porém amigos conhecer a essencia desta que foi uma das maiores bandas de baile do Rio de Janeiro de todos os tempos, somente indo ainda nos bailes de Cascadura, Madureira, Marechal Hermes, Praça Seca, locais mais afastados de toda essa babilonia da zona sul para começar a entender o que estou dizendo. Os grandes bailes de salão e que todo o Swing e o Balanço de Copa 7 está muito vivo.
Hoje é um dia muito especial para este que vos escreve e para este blog, segue na risca os DOIS DISCOS sequentes do Copa 7 em um só post, os Volumes 1 e 2.
Na época destes discos ai eram Lourenço e Damião que agitavam os bailes mais uma interprida turma formada por Lucio na batera, Paulinho no baixo, Dionísio na guitarra mais o trio Manoel, Bunn e Cauê nos metais, Geraldinho nos teclados e o grande Nadinho fazendo a ritmia botavam todo mundo pra dançar e ai de você que não dançasse ao Som do Copa, como diz o ditado ou "você era ruim da cabeça ou doente do pé!"
Hoje em dia ainda tenho a oportunidade de vivenciar isso e ainda por cima de ser amigo dessa rapaziada que hoje tem uma nova formação mais moderna, mas não menos dançante um abraço ao grande Naldo!!!
E se você duvida pague para ver e venha aos bailes para curtir essa maravilha, papagaios também serão bem vindos!!!!rs

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Paulinho da Viola - A Dança Da Solidão

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Jovelina Pérola Negra - Luz do Repente (1987)


terça-feira, 4 de novembro de 2008

Trio Mocotó - Beleza! Beleza! Beleza! (2004)


Originais do Samba - Samba é De Lei (1970)


segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Farofa Carioca - Moro no Brasil (1998)



Farofa Carioca é um grupo musical brasileiro, do Rio de Janeiro, formada nos anos 1990, com estilo variado devido a combinação de ritmos como rock, pop, rap, samba e funk. Algumas apresentações em concertos são usados números circenses e dança.
Seu principal vocalista foi o cantor Seu Jorge, que hoje atua em carreira solo, em seu lugar na banda encontra-se o cantor Mario Broder, ex vocalista do grupo Funk'n'Lata.